Gil de Ferran, morre o vencedor das 500 milhas de Indianápolis

Gil de Ferran foi um talentoso piloto e diretor esportivo brasileiro. Gilberto Dias Fernandes de Marigny Andrade, nasceu na cidade francesa de Paris, precisamente no dia 11 de novembro de 1967 sempre foi apaixonado pelo país que adotou como seu, o Brasil.

Com o título de campeão britânico da Fórmula 3, ele se consagrou ainda mais ao vencer as famosas corridas das 500 milhas em Indianápolis por duas vezes e também triunfar na categoria CART, agora chamada IndyCar Series. Filho do mecânico francês Luc de Ferran, Gil mudou para o Brasil aos quatro anos.

Carreira

No começo de sua carreira, Gil de Ferran competiu no kart, mas logo fez a transição para a Fórmula Ford em 1987 e se consagrou campeão brasileiro. Depois de terminar o terceiro ano da faculdade em 1988, ele fez as malas e seguiu para a Inglaterra como corajoso navegante solitário. A partir de 1991, ele entrou para a competição da Fórmula 3 e se consagrou campeão no ano seguinte ao alcançar sete vitórias. Gil correu na Fórmula 3000, durante o período de 1993 a 1994, partindo enfim para à CART.

Correu durante cinco anos em equipes menores, como por exemplo a Hall (1995) e Walker Racing (1996-1999). Subsequentemente, Ferran foi contratado pela Team Penske. Durante sua atuação na equipe CART nos anos 2000 e 2001, conseguiu conquistar o título do campeonato duas vezes. 

A grande vitória

A chegada de Gil e Hélio Castroneves à Indy Racing League aconteceu em 2002, quando a equipe Penske fez sua transferência. Entretanto, foi em 2003 que ele conquistou o título das 500 milhas de Indianápolis. Anunciou a sua aposentadoria na IRL ao final dessa mesma temporada. 

A partir de sua nomeação em 2005, ele ocupou o cargo de diretor esportivo na equipe Britsh American Racing (BAR), que posteriormente teve seu nome alterado para Time Honda Rancing F1. Contudo, insatisfeito com sua posição, ele decidiu deixar a equipe em julho de 2007.

Idas e Vindas de Gil De Ferran

Eventualmente, em 2008, ao retornar as pistas como dono e piloto da equipe America Le Mans Series garantiu diversos títulos. Ele conseguiu a vitória em cinco corridas e ficou na segunda posição no ano seguinte. No fim da temporada, aos 41 anos, ele revelou seu desejo de se aposentar como diretor pela segunda vez.

O piloto decidiu se juntar à Luczo-Dragon Racing em 2010 e assim surgiu a De Ferran Dragon Rancing, que iniciou sua trajetória na Indy Rancing League. Rafael Matos, consagrou sua estreia e da equipe na São Paulo Indy 300 foi marcada pelo bom desempenho de Rafael Matos, que terminou em quarto lugar. Contudo, no ano de 2011, a equipe decidiu encerrar por não conseguir patrocínio suficiente. 

No mês de julho de 2018, Eric Boullier anunciou sua saída como diretor de corrida da equipe McLaren na Fórmula 1. O recém-criado cargo de diretor esportivo da equipe foi entregue aos cuidados de Gil de Ferran. A McLaren, em agosto de 2019, contratou De Ferran para o projeto da McLaren para a IndyCar Series. Em janeiro de 2021, ele saiu do cargo de diretor esportivo. 

Morte de Gil de Ferran

Atualmente, Gil De Ferran assumiu o cargo de consultor da McLaren na Fórmula 1, durante um período importante em que a equipe passou por um processo interno e organizacional. 

Subitamente, Gil sofreu um ataque cardíaco, enquanto participava de uma corrida na Flórida (EUA), na última sexta-feira à noite (29) e não sobreviveu.  O piloto brasileiro Gil de Ferran, consagrado pela vitória na prestigiada corrida de 500 milhas de Indianápolis. 

Morte

De acordo com os colegas de trabalho, De Ferran participava de um teste de um novo modelo no circuito privado The Concours Club (Opa-Locka, Flórida, EUA), ao demonstrar não se sentir bem durante o circuito. Para evitar maiores problemas, parou na entrada dos boxes e logo em seguida foi levado para o Hospital, mas não resistiu. Gil deixa Angela, sua esposa, Anna e Luke, seus filhos.

Conclusão

Foi em Indianápolis que Gil de Ferran escreveu seu nome na história. Em 2003, ele venceu as 500 milhas de Indianápolis, um dos eventos mais prestigiados e desafiadores do automobilismo. Sua vitória foi uma demonstração de sua perícia ao volante e sua inteligência tática. Hoje, as pistas de corridas são mais silenciosas sem a presença de Gil de Ferran, mas seu espírito continuará vivo na memória de todos que tiveram o privilégio de chamá-lo de amigo, companheiro de equipe ou ídolo. Descanse em paz, Gil. Sua estrela brilhará eternamente nas pistas celestiais.